21.6 C
Coimbra
Sexta-feira, 12 Agosto, 2022
InícioGERALSelecção em Coimbra 43 meses depois

Selecção em Coimbra 43 meses depois

A selecção A portuguesa de futebol defrontou hoje à tarde (18h00) o Luxemburgo no Estádio do Calhabé. Decorreram 43 meses e 12 dias desde a última visita da “equipa das quinas” a Coimbra.

A selecção que hoje subiu ao relvado do denominado Estádio Cidade de Coimbra (ECC – sigla que eu penso terá melhor tradução como “Empreendimento Comercial do Calhabé”) é uma espécie de equipa B de Portugal.
Basta atentar nos três jogadores com maior número de internacionalizações que estão convocados (Nani, Postiga e João Moutinho) e ver qual o lugar que ocupam na lista dos mais utilizados de sempre.

Início da 2.ª parte
Início da 2.ª parte
LISTA DOS 25 JOGADORES COM MAIS INTERNACIONALIZAÇÕES
intern.
jogador
posição
golos
nasc.
último clube
127
FIGO
médio
32
1972
Inter
110
F. COUTO
defesa
8
1969
Parma
107
C. RONALDO
avançado
43
1985
Real Madrid
94
RUI COSTA
médio
26
1972
Benfica
88
PAULETA
avançado
47
1973
S. Roque (P. Delgada)
85
SIMÃO SABROSA
avançado
22
1979
Espanyol
81
JOÃO V. PINTO
médio
23
1971
Sp. Braga
80
VITOR BAÍA
guarda-redes
0
1969
FC Porto
79
NUNO GOMES
avançado
29
1976
Blackburn
79
RICARDO
guarda-redes
0
1976
Olhanense
75
RIC. CARVALHO
defesa
4
1978
Mónaco
75
DECO
médio
5
1977
Fluminense
70
RAUL MEIRELES
médio
9
1983
Fenerbache
70
JOÃO PINTO
defesa
1
1961
FC Porto
69
NANI
avançado
13
1986
Man. United
68
BRUNO ALVES
defesa
9
1981
Fenerbache
65
NÉNÉ
avançado
22
1949
Benfica
64
EUSÉBIO
avançado
41
1942
U. Tomar
64
POSTIGA
avançado
26
1982
Valência
63
HUMB. COELHO
defesa
6
1950
Benfica
63
BENTO
guarda-redes
0
1948
Benfica
62
PAULO FERREIRA
defesa
0
1979
Chelsea
62
JOÃO MOUTINHO
médio
2
1986
Mónaco
59
MIGUEL
defesa
1
1980
Valencia
58
TIAGO
médio
3
1981
At. Madrid

Em destaque: jogadores actualmente em actividade.
Com cor castanha: jogadores que estiveram hoje em Coimbra.

JOGO COM A CHINA EM MARÇO DE 2010

A última vez que a selecção portuguesa jogou em Coimbra foi no dia 3 de Março de 2010. A selecção portuguesa venceu por 2-0, com golos de Hugo Almeida (35m) e Liedson (90m).

Perante cerca de 20.000 espectadores, e sob a arbitragem de Djamel Haimoudi (Argélia), Portugal alinhou da seguinte forma:
Eduardo (Hilário, 46m); Paulo Ferreira, Bruno Alves (Tonel, 63m), Rolando e Duda (Miguel, 46m); Raul Meireles, Tiago (Pedro Mendes, 46m), Simão (João Moutinho, 46m) e Nani (Varela, 62m); Cristiano Ronaldo (Liedson, 46m) e Hugo Almeida.

Em maiúsculas os quatro jogadores que, 43 meses depois, voltaram a pisar o relvado do Calhabé.

JOGO “TIPO CONTINENTE”
(COM 50% DE DESCONTO)
Não foi um grande espectáculo, o desafio desta tarde com o Luxemburgo, mas foi aquilo a que se pode chamar um jogo entretido. Estiveram no estádio 18.955 espectadores e Portugal ganhou com facilidade, como quis e quase quando quis.
Mais uma vez, a equipa treinada por Paulo Bento só mostrou alguma qualidade em metade do jogo, interpretando bem a parceria da Federação Portuguesa de Futebol com o Continente que permite comprar bilhetes com 50% de desconto em cartão. Para “meios bilhetes”… um “meio jogo” de uma selecção remendada.
GOLOS – De qualquer modo, o espectáculo de hoje foi melhor do que o da passada sexta-feira, no Estádio de Alvalade, quando Portugal empatou com Israel a uma bola (golo de Ricardo Costa, aos 27 minutos).
Hoje, Portugal chegou ao intervalo a vencer por 2-0, com golos de Varela (30m) e Nani (37m).
Curiosamente, Varela estava a ser um dos piores em campo, perdendo lances sucessivos, mas melhorou com o golo. Nani foi alternando bons lances com intervenções discretas e lentas.
Na 2.ª parte, Postiga marcou aos 79 minutos.
Casa de banho ao intervalo
Casa de banho ao intervalo
EXPULSÃO – Portugal jogou mais de uma hora em superioridade numérica, dado que luxemburguês Joachim foi expulso aos 28 minutos. Apenas após a expulsão é que a equipa portuguesa conseguiu marcar. Marcou três, deu a sensação de poder marcar mais. No entanto, a lentidão foi tanta que se chegaram a ouvir assobios nas bancadas.
AZARADO – Quem repetiu uma exibição medíocre foi o figueirense Hugo Almeida, mal em Alvalade e mal no Calhabé.
RONALDO – Ninguém se lembrou dele durante o jogo de hoje.
EQUIPA – Portugal alinhou com Rui Patrício; André Almeida, Luís Neto, Ricardo Costa (Sereno, 59m) e Fábio Coentrão (Antunes, 76m); Miguel Veloso (Hugo Almeida, 58m); João Moutinho e Josué; Nani, Silvestre Varela e Hélder Postiga.
Mais um para a colecção. Ontem vendiam-se dois cachecóis por 5 euros
Mais um para a colecção. Ontem vendiam-se dois cachecóis por 5 euros

HINO – Cantado hoje no Estádio do Calhabé. Um dos momentos (sempre) altos dos jogos da selecção. Para ver e ouvir aqui.

RELVADOS – Em más condições, tanto o do Calhabé como o de Alvalade. Com um Verão muito quente, parece que os responsáveis quiseram poupar nos consumos de água… 🙁

SINAIS DOS TEMPOS – Há uns meses, deixei a compra do cachecol do Portugal-Rússia para o final do jogo. Fiquei sem ele na colecção; esgotaram. Na sexta-feira, em Lisboa, e hoje, em Coimbra, havia “cachecóis do jogo” à saída dos estádios. Antes dos jogos um cachecol custava 5 euros, depois dos jogos os mesmos 5 euros davam para dois cachecóis. Hoje, comprei dois por 5 euros, mas… antes do jogo. «É para me estrear», disse a rapariga. 😉

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Célia Franco on Redacção da TSF ocupada
Maria da Conceição de Oliveira on Liceu D. Maria: reencontro 40 anos depois
maria fernanda martins correia on Água em Coimbra 54% mais cara do que em Lisboa
Eduardo Varandas on Conversas [Vasco Francisco]
Emília Trindade on Um nascimento atribulado
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
José da Conceição Taborda on João Silva
Cristina Figueiredo on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria Emília Seabra on Registos – I [Eduardo Aroso]
São Romeiro on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria do Rosário Portugal on Ricardo Castanheira é suspenso e abandona PS
M Conceição Rosa on Quando a filha escreve no jornal…
José Maria Carvalho Ferreira on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria Isabel Teixeira Gomes on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria de Fátima Martins on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
margarida Pedroso de lima on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
Manuel Henrique Saraiva on Como eu vi o “Prós e Contras” da RTP
Armando Manuel Silvério Colaço on Qual é a maior nódoa negra de Coimbra?
Maria de Fátima Pedroso Barata Feio Sariva on Encarnação inaugurou Coreto com mais de 100 anos
Isabel Hernandez on Lembram-se do… Viegas?
Maria Teresa Freire Oliveira on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Teresa Freire Oliveira on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Madalena >Ferreira de Castro on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on INSÓLITO / Tacho na sessão da Câmara de Miranda
Ermenilde F.C.Cipriano on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on De onde sou, sempre serei
Carlos Santos on Revolta de um professor
Eduardo Varandas on De onde sou, sempre serei
Norberto Pires on Indignidade [Norberto Pires]
Luis Miguel on Revolta de um professor
Fernando José Pinto Seixas on Indignidade [Norberto Pires]
Olga Rodrigues on De onde sou, sempre serei
Eduardo Saraiva on Pergunta inquietante
mritasoares@hotmail.com on Hoje há poesia (15h00) na Casa da Cultura
Eduardo Varandas on Caricatura 3 (por Victor Costa)
Maria do Carmo Neves on FERREIRA FERNANDES sobre Sócrates
Maria Madalena Ferreira de Castro on Revalidar a carta de condução
Eduardo Saraiva on Eusébio faleceu de madrugada
Luís Pinheiro on No Café Montanha
Maria Madalena Ferreira de Castro on Eusébio faleceu de madrugada
José Maria Carvalho Ferreira on José Basílio Simões no “Expresso”
Maria Madalena Ferreira de Castro on Carta de Lisboa
Manuel Fernandes on No Café Montanha
Rosário Portugal on Desabamento na Estrada de Eiras
manuel xarepe on No Café Montanha
Jorge Antunes on Mataram-me a freguesia
António Conchilha Santos on Nota de abertura
Herminio Ferreira Rico on Ideias e idiotas!
José Reis on Nota de abertura
Eduardo Varandas on Caricatura
Eduardo Varandas on Miradouro da Lua
Célia Franco on Nota de abertura
Apolino Pereira on Nota de abertura
Armando Gonçalves on Nota de abertura
José Maria Carvalho Ferreira on Nota de abertura
Jorge Antunes on Nota de abertura
João Gaspar on Nota de abertura
Ana Caldeira on Nota de abertura
Diamantino Carvalho on Mataram-me a freguesia
António Olayo on Nota de abertura
Alexandrina Marques on Nota de abertura
Luis Miguel on Nota de abertura
Joao Simões Branco on Nota de abertura
Jorge Castilho on Nota de abertura
Luísa Cabral Lemos on Nota de abertura
José Quinteiro on Nota de abertura
Luiz Miguel Santiago on Nota de abertura
Fernando Regêncio on Nota de abertura
Mário Oliveira on Nota de abertura