17.7 C
Coimbra
Domingo, 5 Fevereiro, 2023
InícioGERALBenfica joga hoje no Calhabé

Benfica joga hoje no Calhabé

web-Vítor-e-Eusébio

Vítor Campos e Eusébio (imagem a circular na Net)

Hoje é o dia em que as bancadas do Estádio do Calhabé mais adeptos recebem em jogos do campeonato nacional. O Benfica vem jogar a Coimbra (20h30) e, como sempre, irá verificar-se a maior assistência da época.

O facto de amanhã ser o Dia dos Fiéis Defuntos (ou Dia de Finados) poderá “jogar” a favor da tesouraria da Académica: muitos adeptos benfiquistas devem hoje fazer a viagem de Lisboa para as Beiras, para honrar a memória dos antepassados, e muito deles podem acabar por fazer uma paragem em Coimbra e assistir ao jogo.
As condições meteorológicas são razoáveis: temperatura entre os 15 e 16 graus, à hora do jogo, com céu nublado e possibilidade de aguaceiros.
Desde a última vez que a Académica regressou à 1.ª divisão, os resultados entre Académica e Benfica, para o campeonato, foram os seguintes [época, jornada e resultado, segundo o sítio “zerozero”]:

 

2012-2013          J4            Académica        2-2         Benfica
2011-2012        J20            Académica        0-0         Benfica
2010-2011        J16            Académica        0-1         Benfica
2009-2010        J27            Académica        2-3         Benfica
2008-2009          J9            Académica        0-2         Benfica
2007-2008        J11            Académica        1-3         Benfica
2006-2007        J15            Académica        0-2         Benfica
2005-2006          J1            Académica        0-0         Benfica
2004-2005          J3            Académica        0-1         Benfica
2003-2004          J3            Académica        1-3         Benfica
2002-2003        J25            Académica        1-4         Benfica

 

Conclusão: a Académica não venceu em Coimbra o Benfica nas últimas 11 épocas. (Até hoje, Académica e Benfica jogaram em Coimbra 61 vezes para o campeonato nacional, com o seguinte saldo: 5 vitórias da Académica, 15 empates e 45 vitórias do Benfica.]

Muito se poderia escrever, para além do jogo de futebol propriamente dito, sobre este Académica-Benfica. Desde as condições de conforto proporcionadas aos espectadores em dias de chuva, o estacionamento automóvel nas imediações do estádio, a ausência de qualquer estratégia no que diz respeito aos transportes públicos, a separação dos adeptos dos dois emblemas nas bancadas, a falta de iniciativas que estimulem a presença de espectadores, etc., etc.
Escrevo apenas que, como cidadão que paga impostos em Coimbra, continuo sem saber “a verdade” sobre o estádio. E faço apenas uma pergunta: quanto custa, por mês, aos cofres do Município o novo estádio?
[Oficialmente, o estádio foi baptizado de Estádio Cidade de Coimbra, com a sigla ECC. Para mim, e por variadas razões que não cabem neste texto, a sigla significa Empreendimento Comercial do Calhabé.]
Classificação actual do campeonato
Classificação actual do campeonato
RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Célia Franco on Redacção da TSF ocupada
Maria da Conceição de Oliveira on Liceu D. Maria: reencontro 40 anos depois
maria fernanda martins correia on Água em Coimbra 54% mais cara do que em Lisboa
Eduardo Varandas on Conversas [Vasco Francisco]
Emília Trindade on Um nascimento atribulado
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
José da Conceição Taborda on João Silva
Cristina Figueiredo on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria Emília Seabra on Registos – I [Eduardo Aroso]
São Romeiro on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria do Rosário Portugal on Ricardo Castanheira é suspenso e abandona PS
M Conceição Rosa on Quando a filha escreve no jornal…
José Maria Carvalho Ferreira on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria Isabel Teixeira Gomes on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria de Fátima Martins on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
margarida Pedroso de lima on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
Manuel Henrique Saraiva on Como eu vi o “Prós e Contras” da RTP
Armando Manuel Silvério Colaço on Qual é a maior nódoa negra de Coimbra?
Maria de Fátima Pedroso Barata Feio Sariva on Encarnação inaugurou Coreto com mais de 100 anos
Isabel Hernandez on Lembram-se do… Viegas?
Maria Teresa Freire Oliveira on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Teresa Freire Oliveira on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Madalena >Ferreira de Castro on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on INSÓLITO / Tacho na sessão da Câmara de Miranda
Ermenilde F.C.Cipriano on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on De onde sou, sempre serei
Carlos Santos on Revolta de um professor
Eduardo Varandas on De onde sou, sempre serei
Norberto Pires on Indignidade [Norberto Pires]
Luis Miguel on Revolta de um professor
Fernando José Pinto Seixas on Indignidade [Norberto Pires]
Olga Rodrigues on De onde sou, sempre serei
Eduardo Saraiva on Pergunta inquietante
mritasoares@hotmail.com on Hoje há poesia (15h00) na Casa da Cultura
Eduardo Varandas on Caricatura 3 (por Victor Costa)
Maria do Carmo Neves on FERREIRA FERNANDES sobre Sócrates
Maria Madalena Ferreira de Castro on Revalidar a carta de condução
Eduardo Saraiva on Eusébio faleceu de madrugada
Luís Pinheiro on No Café Montanha
Maria Madalena Ferreira de Castro on Eusébio faleceu de madrugada
José Maria Carvalho Ferreira on José Basílio Simões no “Expresso”
Maria Madalena Ferreira de Castro on Carta de Lisboa
Manuel Fernandes on No Café Montanha
Rosário Portugal on Desabamento na Estrada de Eiras
manuel xarepe on No Café Montanha
Jorge Antunes on Mataram-me a freguesia
António Conchilha Santos on Nota de abertura
Herminio Ferreira Rico on Ideias e idiotas!
José Reis on Nota de abertura
Eduardo Varandas on Caricatura
Eduardo Varandas on Miradouro da Lua
Célia Franco on Nota de abertura
Apolino Pereira on Nota de abertura
Armando Gonçalves on Nota de abertura
José Maria Carvalho Ferreira on Nota de abertura
Jorge Antunes on Nota de abertura
João Gaspar on Nota de abertura
Ana Caldeira on Nota de abertura
Diamantino Carvalho on Mataram-me a freguesia
António Olayo on Nota de abertura
Alexandrina Marques on Nota de abertura
Luis Miguel on Nota de abertura
Joao Simões Branco on Nota de abertura
Jorge Castilho on Nota de abertura
Luísa Cabral Lemos on Nota de abertura
José Quinteiro on Nota de abertura
Luiz Miguel Santiago on Nota de abertura
Fernando Regêncio on Nota de abertura
Mário Oliveira on Nota de abertura