16.8 C
Coimbra
Quinta-feira, 30 Novembro, 2023
InícioGERALSporting ultrapassa Benfica no Calhabé

Sporting ultrapassa Benfica no Calhabé

web-blogue-Espectadores-por-clubes

Os “grandes” em Coimbra nas últimas três épocas

Os 8.551 espectadores que ontem assistiram, no Estádio do Calhabé, ao Académica-Benfica (que terminou com o resultado de 0-3) ficaram muito distantes dos 14.194 que estiveram no Académica-Sporting (0-4), a 24 de Agosto.

O desafio de ontem passou a ser o 22.º jogo com maior assistência do actual campeonato, enquanto o jogo com os “leões” é o 15.º da tabela. O jogo com maior número de espectadores até ao momento é o FC Porto-Sporting, da semana passada, que registou 48.108 adeptos nas bancadas das Antas.

A principal curiosidade relacionada com a (fraca) assistência registada ontem no Académica-Benfica, normalmente a melhor receita anual de bilheteira do clube de Coimbra, tem a ver com o facto do Sporting passar a ser o clube que mais espectadores atrai ao Estádio do Calhabé.

Resta ver o que sucederá no próximo dia 30 de Novembro, um sábado, quando o FC Porto se deslocar a Coimbra para jogar com a Académica a partir das 20h15. Mas tudo indica que o título de “campeão de bilheteira em Coimbra”, em jogos para o campeonato, já não fugirá esta época ao Sporting, a viver o “efeito Bruno de Carvalho”.

Ou seja: esta época os três “grandes” jogam em Coimbra antes do Natal, pelo que até final deste mês terão entrado nos cofres da Académica as mais significativas receitas de bilheteira de toda a temporada. E o campeonato só terminará em 11 de Maio.

Outra curiosidade: a assistência aos Académica-Benfica das últimas sete temporadas (em destaque, a melhor e a pior).

2013-2014          J9            8.551

2012-2013          J4            8.270

2011-2012        J20          14.011

2010-2011        J16          13.264

2009-2010        J27          21.742

2008-2009          J9          18.980

2007-2008        J11          19.068

Olhando novamente o quadro que abre este texto, verifica-se que as visitas de Sporting e Benfica a Coimbra já atraíram esta época ao estádio maior número de espectadores do que o conjunto dos três jogos com os “grandes” na temporada anterior. Mas os números continuam distantes dos verificados há duas épocas (em 2011-2012), que muito dificilmente serão superados.

Num próximo texto será analisada a afluência aos jogos da Académica em Coimbra nas últimas oito temporadas. O emblema conimbricense tem mantido, ao longo de todo esse período, e em cada uma das diversas épocas, o sexto lugar na “tabela dos espectadores”.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Célia Franco on Redacção da TSF ocupada
Maria da Conceição de Oliveira on Liceu D. Maria: reencontro 40 anos depois
maria fernanda martins correia on Água em Coimbra 54% mais cara do que em Lisboa
Eduardo Varandas on Conversas [Vasco Francisco]
Emília Trindade on Um nascimento atribulado
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
José da Conceição Taborda on João Silva
Cristina Figueiredo on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria Emília Seabra on Registos – I [Eduardo Aroso]
São Romeiro on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria do Rosário Portugal on Ricardo Castanheira é suspenso e abandona PS
M Conceição Rosa on Quando a filha escreve no jornal…
José Maria Carvalho Ferreira on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria Isabel Teixeira Gomes on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria de Fátima Martins on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
margarida Pedroso de lima on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
Manuel Henrique Saraiva on Como eu vi o “Prós e Contras” da RTP
Armando Manuel Silvério Colaço on Qual é a maior nódoa negra de Coimbra?
Maria de Fátima Pedroso Barata Feio Sariva on Encarnação inaugurou Coreto com mais de 100 anos
Isabel Hernandez on Lembram-se do… Viegas?
Maria Teresa Freire Oliveira on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Teresa Freire Oliveira on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Madalena >Ferreira de Castro on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on INSÓLITO / Tacho na sessão da Câmara de Miranda
Ermenilde F.C.Cipriano on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on De onde sou, sempre serei
Carlos Santos on Revolta de um professor
Eduardo Varandas on De onde sou, sempre serei
Norberto Pires on Indignidade [Norberto Pires]
Luis Miguel on Revolta de um professor
Fernando José Pinto Seixas on Indignidade [Norberto Pires]
Olga Rodrigues on De onde sou, sempre serei
Eduardo Saraiva on Pergunta inquietante
mritasoares@hotmail.com on Hoje há poesia (15h00) na Casa da Cultura
Eduardo Varandas on Caricatura 3 (por Victor Costa)
Maria do Carmo Neves on FERREIRA FERNANDES sobre Sócrates
Maria Madalena Ferreira de Castro on Revalidar a carta de condução
Eduardo Saraiva on Eusébio faleceu de madrugada
Luís Pinheiro on No Café Montanha
Maria Madalena Ferreira de Castro on Eusébio faleceu de madrugada
José Maria Carvalho Ferreira on José Basílio Simões no “Expresso”
Maria Madalena Ferreira de Castro on Carta de Lisboa
Manuel Fernandes on No Café Montanha
Rosário Portugal on Desabamento na Estrada de Eiras
manuel xarepe on No Café Montanha
Jorge Antunes on Mataram-me a freguesia
António Conchilha Santos on Nota de abertura
Herminio Ferreira Rico on Ideias e idiotas!
José Reis on Nota de abertura
Eduardo Varandas on Caricatura
Eduardo Varandas on Miradouro da Lua
Célia Franco on Nota de abertura
Apolino Pereira on Nota de abertura
Armando Gonçalves on Nota de abertura
José Maria Carvalho Ferreira on Nota de abertura
Jorge Antunes on Nota de abertura
João Gaspar on Nota de abertura
Ana Caldeira on Nota de abertura
Diamantino Carvalho on Mataram-me a freguesia
António Olayo on Nota de abertura
Alexandrina Marques on Nota de abertura
Luis Miguel on Nota de abertura
Joao Simões Branco on Nota de abertura
Jorge Castilho on Nota de abertura
Luísa Cabral Lemos on Nota de abertura
José Quinteiro on Nota de abertura
Luiz Miguel Santiago on Nota de abertura
Fernando Regêncio on Nota de abertura
Mário Oliveira on Nota de abertura