19.3 C
Coimbra
Quinta-feira, 29 Setembro, 2022
InícioDESTAQUE50 graus à sombra

50 graus à sombra [crónica do Qatar]

FRANCISCO BAPTISTA (no Qatar) *

web2 qatar-03

É uma honra poder escrever, como fiz em outros lugares, coordenado por um ser humano e jornalista de enorme quilate, o Mário Martins. Conhecemo-nos há muito…

O desafio é escrever como vive alguém que adora Coimbra num País tão longínquo como o Qatar, potência emergente no Médio Oriente e no Mundo. País organizador nos próximos 10 anos de todos os Campeonatos do Mundo de modalidades desportivas importantes, culminando com o “Mundial” de futebol 2022. E apostam nos Jogos Olímpicos de 2024!

Nada melhor que começar por falar sobre o jogo de ontem, dia 2 de Janeiro, Real Madrid- Paris Saint Germain e do chamado “efeito Ronaldo”. Mesmo em Portugal, quando se fala em Cristiano Ronaldo, não se percebe completamente a dimensão actual e global deste português… Direi mais: se lhe pedissem para dizer que é português e não um espanhol do Real Madrid, Ronaldo faria mais por Portugal no Qatar e no Médio Oriente do que enviarem 100 vezes Paulo Portas em viagens-relâmpago para vender alguma coisa que ainda haja por vender. (Aqui  à distância, não consigo vislumbrar muito bem o que se possa ter ainda por vender que não prejudique mais o moribundo Estado Social português.)

Cristiano Ronaldo esteve aqui 24 horas… As filas para o verem…. duravam horas! Ninguém queria saber nada dos outros jogadores do Real; queriam Ronaldo! Quando apareceu em espaços públicos do hotel foi a histeria colectiva! Impressionante até para um português do desporto, como eu…

O Qatar é louco por futebol, mas não pelos clubes locais. Falam de Barcelona, Real Madrid, Manchester United, Chelsea, Arsenal… Idolatram Pélé. Mas poucos sabem quem foi Eusébio, infelizmente – o que resulta da dimensão de cada um dos países e da nossa incapacidade contínua de mostrarmos ao mundo o nosso talento.

Vivo por aqui desde Janeiro de 2010, tentando mostrar capacidade e competência, trabalhando em gestão desportiva e treino desportivo. Afinal, a história da minha vida! Mas disso falaremos em próxima oportunidade.

Aqui, quanto a portugueses, no país mais rico do Mundo e onde o desporto é tratado como actividade de primeiro nível, conhecem-se dois portugueses: Cristiano Ronaldo e José Mourinho! Ah… e já agora, mais um pequeno número de portugueses que diariamente demonstra competência no que faz e procura contribuir para o desenvolvimento deeste país!

Até à próxima.

web Francisco Baptista

* Profissional de Desporto (adverso ao novo Acordo Ortográfico)

Artigo anteriorNota de abertura
Próximo artigoAcadémica castiga jogadores
RELATED ARTICLES

2 COMENTÁRIOS

  1. Por mais palavras que Francisco Batista possa utilizar para descrever o Mundo do Desporto no Qatar, nunca consegue transmitir o verdadeiro “Amor” que tem pela causa Futsal. Esse português, tal como a Paula Rego, entre outros que ultrapassaram fronteiras para trabalhar, são tecnicamente muito bons e Portugal devia ter uma maior atenção pelos heróis que “sofrem” a distância de muitos amigos e familiares. A eles desejo muita Sorte e muito Sucesso!!!!

  2. O meu Pai é o Maior!!!! Tenho 6 anos e já treino às 3ªf e 5ª f na AAC. Vou seguir sempre o Maior e Melhor Pai do Mundo!
    Também vou ser o Melhor em Campo, por ti para ti!
    César Cardoso

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Célia Franco on Redacção da TSF ocupada
Maria da Conceição de Oliveira on Liceu D. Maria: reencontro 40 anos depois
maria fernanda martins correia on Água em Coimbra 54% mais cara do que em Lisboa
Eduardo Varandas on Conversas [Vasco Francisco]
Emília Trindade on Um nascimento atribulado
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
José da Conceição Taborda on João Silva
Cristina Figueiredo on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria Emília Seabra on Registos – I [Eduardo Aroso]
São Romeiro on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria do Rosário Portugal on Ricardo Castanheira é suspenso e abandona PS
M Conceição Rosa on Quando a filha escreve no jornal…
José Maria Carvalho Ferreira on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria Isabel Teixeira Gomes on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria de Fátima Martins on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
margarida Pedroso de lima on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
Manuel Henrique Saraiva on Como eu vi o “Prós e Contras” da RTP
Armando Manuel Silvério Colaço on Qual é a maior nódoa negra de Coimbra?
Maria de Fátima Pedroso Barata Feio Sariva on Encarnação inaugurou Coreto com mais de 100 anos
Isabel Hernandez on Lembram-se do… Viegas?
Maria Teresa Freire Oliveira on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Teresa Freire Oliveira on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Madalena >Ferreira de Castro on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on INSÓLITO / Tacho na sessão da Câmara de Miranda
Ermenilde F.C.Cipriano on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on De onde sou, sempre serei
Carlos Santos on Revolta de um professor
Eduardo Varandas on De onde sou, sempre serei
Norberto Pires on Indignidade [Norberto Pires]
Luis Miguel on Revolta de um professor
Fernando José Pinto Seixas on Indignidade [Norberto Pires]
Olga Rodrigues on De onde sou, sempre serei
Eduardo Saraiva on Pergunta inquietante
mritasoares@hotmail.com on Hoje há poesia (15h00) na Casa da Cultura
Eduardo Varandas on Caricatura 3 (por Victor Costa)
Maria do Carmo Neves on FERREIRA FERNANDES sobre Sócrates
Maria Madalena Ferreira de Castro on Revalidar a carta de condução
Eduardo Saraiva on Eusébio faleceu de madrugada
Luís Pinheiro on No Café Montanha
Maria Madalena Ferreira de Castro on Eusébio faleceu de madrugada
José Maria Carvalho Ferreira on José Basílio Simões no “Expresso”
Maria Madalena Ferreira de Castro on Carta de Lisboa
Manuel Fernandes on No Café Montanha
Rosário Portugal on Desabamento na Estrada de Eiras
manuel xarepe on No Café Montanha
Jorge Antunes on Mataram-me a freguesia
António Conchilha Santos on Nota de abertura
Herminio Ferreira Rico on Ideias e idiotas!
José Reis on Nota de abertura
Eduardo Varandas on Caricatura
Eduardo Varandas on Miradouro da Lua
Célia Franco on Nota de abertura
Apolino Pereira on Nota de abertura
Armando Gonçalves on Nota de abertura
José Maria Carvalho Ferreira on Nota de abertura
Jorge Antunes on Nota de abertura
João Gaspar on Nota de abertura
Ana Caldeira on Nota de abertura
Diamantino Carvalho on Mataram-me a freguesia
António Olayo on Nota de abertura
Alexandrina Marques on Nota de abertura
Luis Miguel on Nota de abertura
Joao Simões Branco on Nota de abertura
Jorge Castilho on Nota de abertura
Luísa Cabral Lemos on Nota de abertura
José Quinteiro on Nota de abertura
Luiz Miguel Santiago on Nota de abertura
Fernando Regêncio on Nota de abertura
Mário Oliveira on Nota de abertura