18.8 C
Coimbra
Domingo, 26 Junho, 2022
InícioOPINIÃOIdeias e idiotas!

Ideias e idiotas!

EMÍNIO LAPA *

 

Gosto desta cidade onde florescem as ideias. São tantos os idiotas! Os que assaltam restaurantes entrando pelo teto. O carro à porta de minha casa, enquanto dormia!

Os polícias não patrulham as ruas, mas vigiam os carros em parques com parquímetros. Para isso param em segunda fila, estacionam em cima de passeios, nas rotundas e até em lugares reservados a deficientes. Lá saberão porquê.

Enquanto utente também gosto do sistema de estacionamento nos hospitais da cidade. Estes idiotas têm boas ideias. Os lugares próximos aos locais onde se vai às consultas ou fazer tratamentos é reservado aos trabalhadores ou ocupados por estes. Os utentes podem estacionar nos arredores em cima dos passeios ou em lugares a pagar, imagine-se, através de parquímetros. Dá sempre jeito, o doente farta-se de fazer exercício, é bom para a saúde. A consulta marcada para as 9 da manhã começa à 1 da tarde e entretanto o utente já foi duas ou três vezes colocar moedas, correndo o risco de ser chamado entretanto, ou quando chegar já tem o carro bloqueado pelos tais polícias que não patrulham as ruas, mas patrulham, com zelo, os parques de estacionamento.

Felizmente que os doentes são compensados pelos idiotas com ideias inovadoras em tratamentos, cirurgias, acompanhamento e investigação médica. Bem-hajam estes idiotas!

Também gosto dos idiotas que têm ideias para promover o comércio local. Aquela malta do Quebra-Costas, mais quebra a cabeça com ideias que me seduzem para o local. O pessoal da organização do Festival de Poesia Mal Dito, “malditos” os gajos, são mesmo uns idiotas. Será que não haverá por ai mais uns idiotas que nos facilitassem o estacionamento pela Baixa, locais sem parquímetros (que limitam o tempo que posso optar por andar e estar na minha querida cidade) e mais locais baratinhos para estacionarem sem tempo para quem vai com tempo.

E também gosto destes idiotas que agora avançam com este novo projecto. Novas ideias a surgirem com o Novo Ano. Desejo a todos muitas e boas idiotices e, claro, saudinha e paz no mundo.

 * pseudónimo

pseudonimo

Artigo anteriorAcadémica castiga jogadores
Próximo artigoNo Café Montanha
RELATED ARTICLES

1 COMENTÁRIO

  1. Tem toda a razão quanto a estacionamentos nos Hospitais. No da univ. até os lugares junto das urgências que ,supostamente, seriam para os acompanhantes, como estão mais à mão, ficam lotados logo às primeiras horas e assim continuam todo o dia. Para quando o anunciado, e sempre adiado, parque subterrâneo ?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Célia Franco on Redacção da TSF ocupada
Maria da Conceição de Oliveira on Liceu D. Maria: reencontro 40 anos depois
maria fernanda martins correia on Água em Coimbra 54% mais cara do que em Lisboa
Eduardo Varandas on Conversas [Vasco Francisco]
Emília Trindade on Um nascimento atribulado
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
José da Conceição Taborda on João Silva
Cristina Figueiredo on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria Emília Seabra on Registos – I [Eduardo Aroso]
São Romeiro on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria do Rosário Portugal on Ricardo Castanheira é suspenso e abandona PS
M Conceição Rosa on Quando a filha escreve no jornal…
José Maria Carvalho Ferreira on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria Isabel Teixeira Gomes on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria de Fátima Martins on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
margarida Pedroso de lima on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
Manuel Henrique Saraiva on Como eu vi o “Prós e Contras” da RTP
Armando Manuel Silvério Colaço on Qual é a maior nódoa negra de Coimbra?
Maria de Fátima Pedroso Barata Feio Sariva on Encarnação inaugurou Coreto com mais de 100 anos
Isabel Hernandez on Lembram-se do… Viegas?
Maria Teresa Freire Oliveira on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Teresa Freire Oliveira on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Madalena >Ferreira de Castro on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on INSÓLITO / Tacho na sessão da Câmara de Miranda
Ermenilde F.C.Cipriano on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on De onde sou, sempre serei
Carlos Santos on Revolta de um professor
Eduardo Varandas on De onde sou, sempre serei
Norberto Pires on Indignidade [Norberto Pires]
Luis Miguel on Revolta de um professor
Fernando José Pinto Seixas on Indignidade [Norberto Pires]
Olga Rodrigues on De onde sou, sempre serei
Eduardo Saraiva on Pergunta inquietante
mritasoares@hotmail.com on Hoje há poesia (15h00) na Casa da Cultura
Eduardo Varandas on Caricatura 3 (por Victor Costa)
Maria do Carmo Neves on FERREIRA FERNANDES sobre Sócrates
Maria Madalena Ferreira de Castro on Revalidar a carta de condução
Eduardo Saraiva on Eusébio faleceu de madrugada
Luís Pinheiro on No Café Montanha
Maria Madalena Ferreira de Castro on Eusébio faleceu de madrugada
José Maria Carvalho Ferreira on José Basílio Simões no “Expresso”
Maria Madalena Ferreira de Castro on Carta de Lisboa
Manuel Fernandes on No Café Montanha
Rosário Portugal on Desabamento na Estrada de Eiras
manuel xarepe on No Café Montanha
Jorge Antunes on Mataram-me a freguesia
António Conchilha Santos on Nota de abertura
Herminio Ferreira Rico on Ideias e idiotas!
José Reis on Nota de abertura
Eduardo Varandas on Caricatura
Eduardo Varandas on Miradouro da Lua
Célia Franco on Nota de abertura
Apolino Pereira on Nota de abertura
Armando Gonçalves on Nota de abertura
José Maria Carvalho Ferreira on Nota de abertura
Jorge Antunes on Nota de abertura
João Gaspar on Nota de abertura
Ana Caldeira on Nota de abertura
Diamantino Carvalho on Mataram-me a freguesia
António Olayo on Nota de abertura
Alexandrina Marques on Nota de abertura
Luis Miguel on Nota de abertura
Joao Simões Branco on Nota de abertura
Jorge Castilho on Nota de abertura
Luísa Cabral Lemos on Nota de abertura
José Quinteiro on Nota de abertura
Luiz Miguel Santiago on Nota de abertura
Fernando Regêncio on Nota de abertura
Mário Oliveira on Nota de abertura