13.9 C
Coimbra
Quinta-feira, 30 Junho, 2022
InícioDESTAQUENota de abertura

Nota de abertura

Aqui está o COIMBRA JORNAL.

É o herdeiro natural do COIMBRApontoCOM. As 23 mil visualizações em três meses levaram-me a dar este passo. Os textos do blogue foram transferidos integralmente para esta nova localização, tal como a experiência adquirida. Espero que os leitores também percorram o mesmo caminho.

Este COIMBRA JORNAL supera, em muito, a ideia inicial. Por um lado, por “culpa” do Rafael Mota. Sem o seu apoio a nível técnico, não teria chegado até aqui. Por outro lado, pelo apoio que tenho sentido nos últimos dias. Na internet e na rua, multiplicaram-se as palavras de estímulo. Mensagens, telefonemas e ofertas de colaboração chegaram em grande número nos últimos três dias (!), desde que anunciei a abertura para o dia 1 de Janeiro.

Este blogue, um “pré-jornal electrónico”, será aquilo que todos quisermos que seja. Pela minha parte, garanto empenho e acompanhamento diários. As grandes actualizações, no entanto, acontecerão à terça-feira e à sexta-feira.

COIMBRA JORNAL é uma porta aberta. Aos temas que normalmente não interessam à generalidade dos “media”. Aos que desejam partilhar ideias e conhecimentos. Aos que sentem que têm algo para oferecer. Todos juntos seremos mais fortes. Por isso, um dos objectivos deste blogue / pré-jornal é fortalecer a ideia de Comunidade. Vamos procurar ajudar-nos uns aos outros, cidadãos comuns e empresários, famílias e instituições. Podemos partilhar muita coisa. Todos temos algo a aprender, todos temos algo a ensinar.

Outra ideia-forte é a da Cidadania. Vivemos num regime democrático, numa República onde cada cidadão tem direito a um voto. Não vivemos numa sociedade de castas. Por isso, as questões da “polis” interessam-nos. Todas elas. Queremos participar em todos os debates, com o respeito a que a urbanidade obriga, mas com a coluna vertebral direita que a dignidade exige. Não esperem de nós subserviências de qualquer espécie. Aqui encontrarão frontalidade.

O futuro é incerto, hoje como sempre. Ninguém sabe como irá terminar esta aventura. Os últimos dias proporcionaram-me momentos de prazer intenso. E essa é uma parte do capital com que parto. A outra parte pertence às muitas dezenas que, tenho a certeza, me irão acompanhar neste projecto, lendo e escrevendo, comentando e divulgando.

COIMBRA JORNAL é um projecto humilde. É também um projecto digno, livre. Um projecto em que todos contam, em que todos são importantes.

Feliz Ano Novo!

MÁRIO MARTINS

RELATED ARTICLES

21 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns a todos, especialmente ao Mário Martins, pela sua tenacidade, pela sua força! Abraço e votos de um grande sucesso

  2. Caro: Não há caminho… faz-se caminho ao andar!

    Por ora está muito bom mas… como dizia o meu pai: Quando estiver óptimo com tendência a subir!

  3. Que o pré se transforme numa referência de credibilidade e isenção no tratamento jornalístico dos temas que importam aos cidadãos desta urbe enebriada pelo bafio acumulado em décadas de “self-umbiguismo”.
    Felicidades!

  4. Parabéns Mário!
    Valeu a pena a espera!
    Tudo o que é referido na Nota de Abertura é o reflexo da Revoluçao das Mentalidades, Sonhos e Expectativas!
    Identifico-me totalmente com a reflexão que é exposta: basta de subserviência! Que seja um sonho tornado realidade e que possa alcançar rapidamente metas mais amplas!
    Um Bom Ano!

  5. Caríssimo Mário Martins, calorosas felicitações pelo projecto e votos de que alcance o êxito que merece! Se o meu contributo tiver algum préstimo, cá estou disponível para isso. Abraço, com voto de que 2014 seja mesmo um ano novo – e não apenas um novo ano…

  6. Já tinha referido no fb, que não consegues estar quietinho. Ainda bem. Acredito que este vá ser o jornal que a cidade precisa. Cá estaremos a fazer-te companhia. Abraço.

  7. Amigo Mário Martins os meus parabens. Espero que seja o veículo que nos faz falta nesta Cidade. Não é de Metros mas sim a defesa do Património Arquitetónico e Cultural. Parabens! E felicidades.

  8. No tempo de uma informação “voadora” e “centralizada” por grupos de pressão que a todo o custo evitam perder o seu poder, o aparecimento de algo que nos prometa verdade e o trilho do caminho correcto pode estar … como se disse “estar condenada ao sucesso”. Venha de lá essa verdade e esse sucesso. Abraço.

  9. Mário

    Tenho todos os motivos, para acreditar que este teu projecto, está pré-destinado a ter sucesso. Não só porque vêm preencher um espaço em aberto, mas muito especialmente pelo que têm o teu empenho, e não és homem para deixar” créditos por mãos alheias” e o que tens feito na vida e em particular no jornalismo, são aval bastante, para atingir os desígnios propostos.
    Jorge Antunes

  10. Amigo Mário Martins,

    Já o tinha felicitado pela ideia, agora faço-o peça concretização da dita!
    Cá está na “banca” o primeiro, do que espero tenha uma vida longa, útil e aberta a todas as correntes de opiniões e que possa alertar para os males a colmatar na nossa sociedade. Muitas felicidades e um Bom Ano Novo.
    Um abraço.

  11. Parabéns Mário pelo espirito de iniciativa e qualidade do trabalho já realizado!!!! Um grande abraço e muitas felicidades para o futuro!!!

  12. Parabéns Mário por mais este filho.
    Desejo que este espaço esteja sempre aberto às várias correntes de opinião e que isso contribua para fazer deste jornal uma referência. Votos de enorme sucesso.

  13. Parabéns. Nunca é demais para noticiar e desabafar. Felicidades para a iniciativa.
    António Santos

Responder a Alexandrina Marques Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Célia Franco on Redacção da TSF ocupada
Maria da Conceição de Oliveira on Liceu D. Maria: reencontro 40 anos depois
maria fernanda martins correia on Água em Coimbra 54% mais cara do que em Lisboa
Eduardo Varandas on Conversas [Vasco Francisco]
Emília Trindade on Um nascimento atribulado
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
José da Conceição Taborda on João Silva
Cristina Figueiredo on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria Emília Seabra on Registos – I [Eduardo Aroso]
São Romeiro on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria do Rosário Portugal on Ricardo Castanheira é suspenso e abandona PS
M Conceição Rosa on Quando a filha escreve no jornal…
José Maria Carvalho Ferreira on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria Isabel Teixeira Gomes on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria de Fátima Martins on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
margarida Pedroso de lima on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
Manuel Henrique Saraiva on Como eu vi o “Prós e Contras” da RTP
Armando Manuel Silvério Colaço on Qual é a maior nódoa negra de Coimbra?
Maria de Fátima Pedroso Barata Feio Sariva on Encarnação inaugurou Coreto com mais de 100 anos
Isabel Hernandez on Lembram-se do… Viegas?
Maria Teresa Freire Oliveira on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Teresa Freire Oliveira on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Madalena >Ferreira de Castro on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on INSÓLITO / Tacho na sessão da Câmara de Miranda
Ermenilde F.C.Cipriano on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on De onde sou, sempre serei
Carlos Santos on Revolta de um professor
Eduardo Varandas on De onde sou, sempre serei
Norberto Pires on Indignidade [Norberto Pires]
Luis Miguel on Revolta de um professor
Fernando José Pinto Seixas on Indignidade [Norberto Pires]
Olga Rodrigues on De onde sou, sempre serei
Eduardo Saraiva on Pergunta inquietante
mritasoares@hotmail.com on Hoje há poesia (15h00) na Casa da Cultura
Eduardo Varandas on Caricatura 3 (por Victor Costa)
Maria do Carmo Neves on FERREIRA FERNANDES sobre Sócrates
Maria Madalena Ferreira de Castro on Revalidar a carta de condução
Eduardo Saraiva on Eusébio faleceu de madrugada
Luís Pinheiro on No Café Montanha
Maria Madalena Ferreira de Castro on Eusébio faleceu de madrugada
José Maria Carvalho Ferreira on José Basílio Simões no “Expresso”
Maria Madalena Ferreira de Castro on Carta de Lisboa
Manuel Fernandes on No Café Montanha
Rosário Portugal on Desabamento na Estrada de Eiras
manuel xarepe on No Café Montanha
Jorge Antunes on Mataram-me a freguesia
António Conchilha Santos on Nota de abertura
Herminio Ferreira Rico on Ideias e idiotas!
José Reis on Nota de abertura
Eduardo Varandas on Caricatura
Eduardo Varandas on Miradouro da Lua
Célia Franco on Nota de abertura
Apolino Pereira on Nota de abertura
Armando Gonçalves on Nota de abertura
José Maria Carvalho Ferreira on Nota de abertura
Jorge Antunes on Nota de abertura
João Gaspar on Nota de abertura
Ana Caldeira on Nota de abertura
Diamantino Carvalho on Mataram-me a freguesia
António Olayo on Nota de abertura
Alexandrina Marques on Nota de abertura
Luis Miguel on Nota de abertura
Joao Simões Branco on Nota de abertura
Jorge Castilho on Nota de abertura
Luísa Cabral Lemos on Nota de abertura
José Quinteiro on Nota de abertura
Luiz Miguel Santiago on Nota de abertura
Fernando Regêncio on Nota de abertura
Mário Oliveira on Nota de abertura