diocese

Diocese está de luto

O padre Adriano António Tomás Garcia, que entre outras funções foi capelão do Hospital dos Covões, faleceu na tarde de ontem, quarta-feira, no Hospital da Universidade de Coimbra, aos 91 anos de idade.

O sacerdote, que residia na Casa do Clero (junto ao Seminário Maior), sentiu-se mal quando se encontrava a almoçar. Chamado o INEM, foi reanimado e transportado ao hospital, mas viria a falecer pouco depois.

O corpo encontra-se em câmara ardente na Igreja de S. José, em Coimbra, onde hoje será celebrada missa às 17h30. O funeral realiza-se amanhã, sexta-feira, para o cemitério de Orvalho (Oleiros – Castelo Branco), a terra natal. As cerimónias na Igreja Matriz começam às 11h00.

NOTA BIOGRÁFICA
Adriano Tomás Garcia nasceu a 9 de Setembro de 1922. Entrou para o seminário da Figueira da Foz a 1 de Outubro de 1936 e foi ordenado de presbítero a 5 de Abril de 1947, na Igreja do Seminário, por D. António Antunes
O seu ministério foi dedicado, quase na totalidade ao serviço da formação sacerdotal. Em 1947 foi nomeado professor e prefeito do Seminário Menor da Figueira da Foz. No ano seguinte, foi nomeado professor e prefeito do Seminário Maior de Coimbra.
A partir de 1950 exerceu também as funções de “mestre de cerimónias” da Sé Catedral de Coimbra e em 1957 foi designado ecónomo do Seminário Maior de Coimbra. Exerceu também a missão de Reitor de Montes Claros (Nossa Senhora de Lurdes) em 1959.
Os últimos anos de actividade sacerdotal decorreram no Hospital dos Covões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.