18.8 C
Coimbra
Domingo, 26 Junho, 2022
InícioDESTAQUECOIMBRA JORNAL tem novos colaboradores

COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores

novos-CJ

 Licínia Girão, Helena Freitas e Francisco Caleira

Helena Freitas, Licínia Girão e Francisco Caleira são novos colaboradores do COIMBRA JORNAL. O blogue saúda-os e deseja-lhes óptima permanência neste espaço de liberdade. Um espaço de… Notícias & Opiniões.

FRANCISCO CALEIRA foi jornalista do “Diário As Beiras” e dirigente da Associação Académica de Coimbra (concretamente na área do Desporto Universitário). Trabalha no estrangeiro há vários anos, o que lhe dá uma visão muito especial sobre os problemas que afectam a sociedade portuguesa. Neste momento encontra-se radicado na Irlanda. Começou a colaborar com o COIMBRA JORNAL na semana passada. O seu primeiro texto, “Irlanda: de tigre a gato”, de grande interesse porque retrata uma situação semelhante à de Portugal, pode  ser lido aqui.

LICÍNIA GIRÃO é jornalista de grande experiência. Nos jornais, já subiu todos os degraus: colaboradora, redactora e directora. Foi visita regular da casa de Miguel Torga a partir do momento em que escreveu um texto sobre o escritor, texto esse que o seu director da altura não quis publicar por alegada falta de qualidade. O texto acabou por sair. Quando viu o jornal, Miguel Torga encomendou… 100 exemplares.
Ela própria, Licínia, define-se assim: «Desde cedo que me habituei a escrever sobre os outros, porque de mim penso sempre mais do que redijo… Aos 18 anos entrei para a Redacção do Diário de Coimbra como estagiária e desde então olho para  “a palavra como a obra de quem a escreve e a arte de quem a lê”. É neste meio que trabalho. Entre palavras e desassossegos. Sou jornalista e amante das palavras escritas e faladas.»

HELENA FREITAS, vice-reitora da Universidade de Coimbra, dispensa apresentações. Para além de colaborações em meios de comunicação social de âmbito nacional, nos últimos dois anos redigiu uma crónica quinzenal no “Diário de Coimbra”. A colaboração terminou ontem.
Na derradeira crónica, Helena Freitas confessa que «tive sempre o sonho de escrever. Quando era criança, à semelhança de tantas outras crianças, acreditei que um dia seria escritora. Um pouco mais tarde, quando me confrontei com a escolha de um curso universitário, convenci-me que podia ser jornalista, mas nunca fui muito convicta nesta opção. Acabei por escolher um percurso científico, pelo que passei mesmo uma grande parte da vida a escrever, mas foram textos de índole técnica e científica.» Aqui, no COIMBRA JORNAL, vai continuar a exercitar as reconhecidas capacidades de articulista e a concretizar o… sonho de infância.

RELATED ARTICLES

3 COMENTÁRIOS

  1. Sem menosprezar os jornais de Coimbra, esta cidade estava a precisar desta frescura jornalistica gerada pelo Coimbrajornal. É bonito ver crescer o que ainda muito recentemente era um embrião e agora estende já os seus braços para novos colaboradores (de excelência) nos quais gostaria de me poder contar. Parabéns e longevidade são os votos.

  2. Parabéns, excelente aquisição de colaboradores, de incontestável nivel, prova inequivoca do reconhecimento da mais valia desta iniciativa do Mário.

  3. Pois com a entrada de “senhores” deste gabarito, o Coimbra-Jornal, só pode crescer em credibilidade e informação de excelência. Parabéns!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

Célia Franco on Redacção da TSF ocupada
Maria da Conceição de Oliveira on Liceu D. Maria: reencontro 40 anos depois
maria fernanda martins correia on Água em Coimbra 54% mais cara do que em Lisboa
Eduardo Varandas on Conversas [Vasco Francisco]
Emília Trindade on Um nascimento atribulado
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
Emília Trindade on Sonhos… [Mário Nicolau]
José da Conceição Taborda on João Silva
Cristina Figueiredo on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria Emília Seabra on Registos – I [Eduardo Aroso]
São Romeiro on Encontro Bata Azul 40 anos
Maria do Rosário Portugal on Ricardo Castanheira é suspenso e abandona PS
M Conceição Rosa on Quando a filha escreve no jornal…
José Maria Carvalho Ferreira on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria Isabel Teixeira Gomes on COIMBRA JORNAL tem novos colaboradores
Maria de Fátima Martins on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
margarida Pedroso de lima on Prof. Jorge Santos terminou a viagem
Manuel Henrique Saraiva on Como eu vi o “Prós e Contras” da RTP
Armando Manuel Silvério Colaço on Qual é a maior nódoa negra de Coimbra?
Maria de Fátima Pedroso Barata Feio Sariva on Encarnação inaugurou Coreto com mais de 100 anos
Isabel Hernandez on Lembram-se do… Viegas?
Maria Teresa Freire Oliveira on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Teresa Freire Oliveira on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Maria Madalena >Ferreira de Castro on Crónica falhada: um ano no Fundo de Desemprego
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on INSÓLITO / Tacho na sessão da Câmara de Miranda
Ermenilde F.C.Cipriano on REPORTAGEM / Bolas de Berlim porta-a-porta
Eduardo Manuel Dias Martins Aroso on De onde sou, sempre serei
Carlos Santos on Revolta de um professor
Eduardo Varandas on De onde sou, sempre serei
Norberto Pires on Indignidade [Norberto Pires]
Luis Miguel on Revolta de um professor
Fernando José Pinto Seixas on Indignidade [Norberto Pires]
Olga Rodrigues on De onde sou, sempre serei
Eduardo Saraiva on Pergunta inquietante
mritasoares@hotmail.com on Hoje há poesia (15h00) na Casa da Cultura
Eduardo Varandas on Caricatura 3 (por Victor Costa)
Maria do Carmo Neves on FERREIRA FERNANDES sobre Sócrates
Maria Madalena Ferreira de Castro on Revalidar a carta de condução
Eduardo Saraiva on Eusébio faleceu de madrugada
Luís Pinheiro on No Café Montanha
Maria Madalena Ferreira de Castro on Eusébio faleceu de madrugada
José Maria Carvalho Ferreira on José Basílio Simões no “Expresso”
Maria Madalena Ferreira de Castro on Carta de Lisboa
Manuel Fernandes on No Café Montanha
Rosário Portugal on Desabamento na Estrada de Eiras
manuel xarepe on No Café Montanha
Jorge Antunes on Mataram-me a freguesia
António Conchilha Santos on Nota de abertura
Herminio Ferreira Rico on Ideias e idiotas!
José Reis on Nota de abertura
Eduardo Varandas on Caricatura
Eduardo Varandas on Miradouro da Lua
Célia Franco on Nota de abertura
Apolino Pereira on Nota de abertura
Armando Gonçalves on Nota de abertura
José Maria Carvalho Ferreira on Nota de abertura
Jorge Antunes on Nota de abertura
João Gaspar on Nota de abertura
Ana Caldeira on Nota de abertura
Diamantino Carvalho on Mataram-me a freguesia
António Olayo on Nota de abertura
Alexandrina Marques on Nota de abertura
Luis Miguel on Nota de abertura
Joao Simões Branco on Nota de abertura
Jorge Castilho on Nota de abertura
Luísa Cabral Lemos on Nota de abertura
José Quinteiro on Nota de abertura
Luiz Miguel Santiago on Nota de abertura
Fernando Regêncio on Nota de abertura
Mário Oliveira on Nota de abertura